Pular para o conteúdo
Voltar

Secretarias selam cooperação para efetivar economia solidária

Além de cooperação técnica, foi dada posse aos conselheiros estaduais do Cesol.
Henrique Pimenta | Seaf-MT

Posse dos conselheiros estaduais da economia solidária - Foto por: Henrique Pimenta/Seaf-MT
Posse dos conselheiros estaduais da economia solidária
A | A

As Secretarias de Estado de Agricultura Familiar e Assuntos Fundiários (Seaf) e de Trabalho e Assistência Social (Setas) atuarão em conjunto nas ações de política pública da economia solidária. O termo de cooperação técnica foi assinado nesta quarta-feira (09) pelos secretários Suelme Fernandes e Ivonne Rosset, da Setas, no auditório da Associação Mato-grossense dos Municípios.

Economia solidária são iniciativas de projetos produtivos coletivos, o associativismo e cooperativismo, redes de produção, cooperativas de reciclagem, cooperativas de agricultura familiar e agroecologia entre outras, que dinamizam as economias locais dos municípios.

De acordo com o termo assinado, as duas instituições serão responsáveis pela execução técnica do convênio 774178/2012, firmado entre a Seaf e o Ministério de Trabalho e Emprego, no valor de R$ 1.929.000,00.

Eleito democraticamente o presidente do conselho estadual de economia solidária (CESOL), Suelme Fernandes, comentou a importância da parceria com a Setas. “Trata-se de uma ação da Seaf no Acordo de Resultados e estamos cumprindo. O primeiro secretário de Estado que interagi neste Governo foi o Valdiney pela identificação que temos com essa política pública que fortalecerá o cooperativismo e associativismo. Trabalhar de forma harmônica entre as 2 pastas contribui para se alcançar as metas da economia solidária”.

Dentre as metas do convênio estão: Elaboração do plano estadual da economia solidária, fomento e assessoria técnica às entidades de apoio e empreendimentos solidários para organização de feiras populares e de pontos fixos de comercialização, capacitar técnicos para prestar assessoria em análise de viabilidade econômica e comercialização aos empreendimentos da economia já existentes e apoiar novos empreendimentos e a instalação de um Banco Comunitário na Região Metropolitana de Cuiabá.

“Esta é uma política pública muito importante nessa época de crise, e tem respondido muito bem na criação de trabalho e renda dentro da expectativa de desenvolvimento de uma economia, que chamamos de economia solidária.”, comentou o secretário de Estado de trabalho e assistência social, Valdiney de Arruda.

Conselho estadual 

Os novos conselheiros estaduais da economia solidária de Mato Grosso tomaram posse no evento e foram apresentados ao público alvo do programa. São assistentes sociais, cooperados, catadores que reciclam lixo, pequenos produtores rurais que trabalham de forma associada ou com agroecologia, entre outros.

Dalva Nascimento, que é conselheira estadual de economia solidária e integrante da associação Girassol de Mulheres Produtoras de Artesanato de Tangará da Serra, elogiou o poder público em apoiar a política. “É uma oportunidade de mostrar que mesmo sem o conselho, esta política nunca desanimou, e nós sempre na luta fazendo aquilo que sabemos fazer bem feito que é a produção, comercialização e geração de renda”.

Finalizando o encontro, os conselheiros realizaram a primeira reunião do conselho para debater o regimento interno, apresentar a proposta de trabalho da equipe técnica da Seaf para execução das ações do convênio em 2016 e para aprovação do calendário de reuniões ordinárias e definição de um grupo de trabalho para debater as propostas da economia solidária e realizar a divulgação do plano estadual em sete territórios de cidadania de Mato Grosso, sendo Cuiabá, Tangará da Serra, Juína, Cáceres, Confresa e Rondonópolis.