Pular para o conteúdo
Voltar

Empaer conduz pesquisa sobre mandioca biofortificada

Sonia Trindade

Campo experimental
A | A

A Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer) conduz no Campo Experimental e de Produção, localizado no município de Tangará da Serra (239 km a Médio Norte de Cuiabá), a validação de tecnologia de alimentos biofortificados com o plantio de mandioca. Com a pesquisa, a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) e as Instituições parceiras pretendem combater a incidência de anemia e cegueira na população de baixa renda com o consumo de alimentos biofortificados.

A mandioca é uma cultura de grande importância agrícola em Mato Grosso, importante fator de geração de trabalho e renda no campo e fonte de alimento para a população, principalmente para agricultura familiar. O trabalho de pesquisa é executado pelos pesquisadores Marilene de Moura Alves e Welington Procópio, as atividades de validação de tecnologia de alimentos biofortificados com o plantio de cultivares da mandioca BRS Jari, Gema de Ovo e Dourada.

  O plano das Instituições é aumentar, sobretudo na alimentação dessas populações, a presença de ferro, zinco e vitamina A, micronutrientes importantes para melhorar a resistência do organismo e o desenvolvimento intelectual. A produção de manivas das cultivares visa atender a demanda dos agricultores familiares do Estado, que deverão receber esses materiais para produção em larga escala para atender a merenda escolar.

 Os materiais foram fornecidos pela Embrapa que é a Coordenadora do Programa BioFort no Brasil. Em Mato Grosso, a Empaer é responsável.