Pular para o conteúdo
Voltar

Governo participa da Assembleia Estadual dos Povos Indígenas

Governo participou a convite da Federação e esteve presente para ouvir as demandas dos povos tradicionais
Henrique Pimenta / Katiana Pereira | Seaf/Setas-MT

Governo em diálogo com povos indígenas - Foto por: Jana Pessôa
Governo em diálogo com povos indígenas
A | A

O Governo de Mato Grosso participou neste fim de semana, a convite da Federação Estadual de Povos Indígenas de Mato Grosso (FEPOI-MT), da Assembleia Geral dos Povos Indígenas do Estado. O evento ocorreu de 25 a 29 de outubro, na Aldeia Rio Verde, em Tangará da Serra.

O encontro teve como objetivo fortificar a Federação nas 43 etnias existentes no estado, com renovação de seus integrantes, além de discutir gestão política e questões econômicas. O Governo de Mato Grosso esteve representado pelos secretários de Agricultura Familiar e Trabalho e Assistência Social, Suelme Fernandes e Monica Camolezi, respectivamente.

Os secretários puderam ouvir de perto as demandas dos povos indígenas e apresentar programas de Governo e suporte em capacitações, para que a população tradicional possa acessar recursos financeiros, por meio de fundos específicos, para financiar os projetos que sejam do interesse indígena.

“Apresentamos programas produtivos da Seaf para o plantio, agro industrialização e mecanização da agricultura familiar. Foram demandas que algumas etnias nos apresentaram e estamos viabilizando o atendimento para os verdadeiros donos da terra. Nunca antes o Estado tinha mandado dois secretários de Estado no principal evento indígena de Mato Grosso. Isso demonstra a preocupação do governador Taques com a população tradicional”, comentou o secretário Suelme Fernandes.

A secretária Monica Camolezi salientou que é importante a representação política aos indígenas do Mato Grosso, por meio da Federação, para que a política de inclusão social chegue de fato aos povos tradicionais. A Setas tem um papel fundamental na garantia desses direitos, explica a secretária.

“É gratificante passar por essa imersão social. Integrar uma mesa de debate, dentro de uma aldeia, debatendo políticas públicas com representantes de 43 povos, é uma experiência única e reveladora desta nova sociedade. Os povos indígenas não precisam que ninguém fale por eles, estão muito bem representados e cientes de seus direitos. Cabe a nós, Estado, enquanto ente público criar formas de atender as reivindicações, sem ferir a autonomia dos povos e sua tradição. A Setas já recebe e atende demandas emergenciais e possui programas específicos para inclusão social e produtiva dos povos tradicionais”, destacou a secretária da Setas, Monica.

Os programas o Pró-família, Emprega Rede e Cidadania Indígena possibilitam a transferência de renda, qualificação, com cursos técnicos, e garantia dos direitos constituídos, através da documentação. “Participar de uma assembleia da Federação é uma forma para que todos os povos sejam respeitadas igualmente nas pautas, que devem ser tratadas de políticas públicas”, disse a secretária.

“Estamos trabalhando muito para o fortalecimento da cultura. Faremos nossos rituais de dança, apresentações culturais, culinárias típicas e artesanatos e outros projetos produzidos nas aldeias, serão destacados dentro deste evento, tudo para que nossos líderes possam crescer em conhecimento para enfrentar os novos desafios de um mundo globalizado”, comentou o indígena Adilson Muzuiwane, da Aldeia Sacre II, sobre o que foi apresentado no evento.

Ao fim do evento, a Federação Indígena designará um representante para contribuir no Conselho Estadual de Desenvolvimento Rural Sustentável, conselho vinculado a Seaf-MT.