Pular para o conteúdo
Voltar

Empaer promove curso sobre uso de GPS para técnicos da Baixada Cuiabana

Rosana Persona | Seaf MT

João de Melo/Empaer
A | A

Técnicos da Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer) participaram do curso sobre o uso de GPS (Sistema de Posicionamento Global) de navegação e uso de um programa com informações necessárias para execução de projetos da agricultura familiar. O instrutor e engenheiro agrônomo da Empaer, Osmano Freitas Silva, disse que o objetivo foi auxiliar no manuseio do equipamento para coleta de pontos geográficos, medições de áreas, orientação da origem dos destinos e outros.

Conforme Osmano, o curso contou com a participação de 10 técnicos da Baixada Cuiabana, que aprenderam a realizar levantamento de áreas, calcularem o tamanho em hectares, verificar áreas de pastagens, lavouras, estradas, rios, córregos, Áreas de Preservação Permanente (APP), latitude, longitude e outros. O GPS é um sistema de navegação baseado em satélite, que circunda a terra duas vezes por dia, em uma órbita muito precisa, transmitindo informações para receptores de GPS que calculam o local exato do usuário.

O supervisor regional da Empaer, Vico Capistrano de Alencar, destacou que este foi o primeiro curso de aperfeiçoamento em Agricultura de Precisão (AP)/GPS. As informações vão auxiliar nas medições de áreas, elaboração do Cadastro Ambiental Rural (CAR) para comprovar regularidade ambiental, suspensão de sanções, facilidade de acesso ao crédito, entre outras vantagens. O evento foi realizado na sede da Empaer, no Bairro Boa Esperança, em Cuiabá.

De acordo com Capistrano, os técnicos aprenderam a fazer operações utilizando o receptor de sinal de GPS e coleta de pontos geográficos. Ele explicou que o segundo curso será programado para mais 10 técnicos, que se tornarão multiplicadores. A capacitação tem uma carga horária de oito horas, dividida em aulas teórica e prática, para manusear o aparelho no campo. “A tecnologia já está presente no campo e o curso vem atender a grande demanda dos técnicos no bom atendimento aos agricultores familiares”, destaca Vico.