Pular para o conteúdo
Voltar

Prefeitura de Aripuanã realiza curso para feirantes, em parceria com a Empaer

Rosana Persona | Empaer MT

GCOM
A | A

A Secretaria Municipal de Agricultura de Aripuanã (1.002 km a Noroeste de Cuiabá), em parceria com a Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer), realizou o Curso de Boas Práticas na Manipulação de Alimentos para Feirantes. Durante dois dias, 53 feirantes que comercializam alimentos, hortifruti, carne, derivados de leite, entre outros, receberam orientações sobre as condições de higiene e sanitária da Feira Municipal.

Com objetivo de ensinar os feirantes a manipular, preparar, armazenar e vender os alimentos de forma adequada, higiênica, segura e saudável para os consumidores, a etensionista social da Empaer, Gabrielle Lopes, ministrou palestra com foco na higiene pessoal e manipulação de alimentos. Ela demonstrou na prática o método correto de lavar as mãos, os cuidados ao manipular produto in natura ou processado. “O que será servido na feira despende da higiene do feirante e do local que está vendendo o produto”, destacou.

A feirante Cleuza Dias da Silva, que faz salgados para vender, disse ter aproveitado muito o curso, tanto nas orientações sobre manipulação dos salgados como dos produtos in natura. O presidente da Associação dos Feirantes, João Gerônimo da Silva, ressaltou a importância do curso para os feirantes, que aprenderam como tratar os alimentos de forma mais segura e, consequentemente, os clientes.

Ainda sobre segurança dos alimentos, o engenheiro agrônomo da Empaer, Thiago Marim, e o engenheiro agrônomo da Secretaria de Agricultura, Jurandir Ambrósio, destacaram o uso correto de defensivos químicos, importância da utilização do Equipamento de Proteção Individual (EPI) e o uso de defensivo alternativo. “Esses trabalhadores necessitam de mais atenção para que possam disponibilizar produtos de qualidade para os consumidores”, enfatizou Thiago.

O secretário adjunto de Agricultura, Nelson Tacada, enfatizou que a administração pública tem se preocupado como o desenvolvimento econômico da cidade, geração de renda e com a saúde da população que participa e compra na feira municipal. "A preocupação é tanto com relação aos produtos hortifrutigranjeiros, como também derivados de leite e alimentos prontos no setor de alimentação como é de costume o famoso pastel, sucos, café e até refeição”, completou.

O secretário-adjunto manifestou o interesse de promover novos cursos para que todos possam participar e também em ampliar os temas como opção. Tacada elogiou a forma simples e de fácil entendimento adotada pelos instrutores e a atenção no diálogo com os participantes.

O curso foi realizado nos dias 24 e 25 de outubro.