Pular para o conteúdo
Voltar

Inclusão socioprodutiva é debatida com instituições parceiras

Henrique Pimenta | Seaf MT

Workshop PCI - Foto por: Jana Pessôa - Setas MT
Workshop PCI
A | A

A Secretaria de Estado de Agricultura Familiar e Assuntos Fundiários (Seaf), o Instituto Centro de Vida (ICV) e o Instituto de Pesquisa Ambiental da Amazônia (IPAM) realizaram um workshop para discutir o eixo “Incluir”, da estratégia “Produzir, Conservar e Incluir” (PCI), apresentada pelo Governo de Mato Grosso durante a COP 21, no ano passado, em Paris.

O workshop serviu para nivelar as informações e alinhar os atores sobre as políticas públicas de inclusão produtiva e social quanto à meta estabelecida pela estratégia PCI, elaborar estratégias governamentais e não governamentais para o alcance do objetivo e elencar contribuições das diversas entidades sobre o assunto.

“Como estratégia inicial, acreditamos que o Programa mato-grossense de municípios sustentáveis – PMS desenvolvido por este governo, contempla ações convergentes com as do eixo Incluir. Reunimos aqui instituições mais capacitadas para somar esforços visando cumprir até 2030 as metas estabelecidas na Copa 21 quando o assunto é agricultura familiar sustentável, como meio de inclusão socioprodutiva”, comentou o secretário de Agricultura Familiar de Mato Grosso, Suelme Fernandes.

 

Inclusão socioprodutiva

As metas do eixo “Incluir” contemplam a universalização do atendimento de Assistência Técnica e Extensão Rural; a ampliação da participação dos produtos da agricultura familiar no mercado interno e nos mercados institucionais; maior acesso ao crédito por esses atores sociais e promoção da regularização fundiária em 70% das pequenas propriedades até 2030.

Entidades apresentaram ao público de mais de 60 colaboradores o que cada instituição está promovendo para alcançar as metas estabelecidas. O agrônomo George Lima, da Seaf, explanou sobre o diagnóstico estadual da agricultura familiar, trabalho realizado em conjunto com instituições públicas para definir informações estratégicas da agricultura familiar, que servirão como um norte para próximos investimentos.

Durante o workshop, a Secretaria de Estado de Trabalho e Assistência Social (Setas), que junto da Seaf é responsável pela coordenação do eixo “Incluir”, falou sobre economia verde. O titular da Setas, Valdiney de Arruda, defendeu a criação de novos postos de trabalho, prezando pela economia verde. “Precisamos pensar na economia e na geração de novos empregos respeitando, prioritariamente o meio ambiente. A reciclagem, por exemplo, nos moldes que tem sido feita, passa longe de ser um trabalho descente”, comentou o secretário da Setas Valdiney de Arruda.

Ao final do workshop, o público foi dividido em grupos de trabalho para discutir o planejamento e contribuição das instituições, bem como a sugestão de novas estratégias.

Participaram do workshop, Seaf, Sema, Setas, AMM, Sedec, Gae, Funai, Incra, Ipam, ICV, Fetagri, Formad, Arefloresta, GDR, Sedeuc, Geca, UFMT, Ibam, Opan, Conab, Seplan, Comprup entre outras entidades que discutem também a pauta da inclusão produtiva.