Pular para o conteúdo
Voltar

Secretaria divulga cotação dos produtos da agricultura familiar

Henrique Pimenta | Seaf-MT

Seaf - Foto por: Lorena Bruschi
Seaf
A | A

 A Secretaria de Estado de Agricultura Familiar e Assuntos Fundiários (Seaf) divulgou nesta terça-feira (31.05) a cotação semanal dos 48 principais produtos da agricultura familiar. A Seaf aderiu em janeiro ao Programa de Modernização do Mercado Hortifrutigranjero (Prohort), em parceria com a Companhia Nacional de Abastecimento em Mato Grosso (Conab-MT), Prefeitura de Cuiabá, Empaer e Ceasa-MT. São 20 estados brasileiros que compõem o índice nacional de preço médio da agricultura familiar. 

O desenvolvimento do programa servecomo parâmetro aos pequenos produtores, pois com a divulgação do índice oficial do Prohort, agricultores familiares têm a informação do preço médio por quilo dos produtos para negociar a sua produção com os comerciantes.
 
A cotação de preços do Prohort é realizada semanalmente, toda terça-feira a partir 5h, por técnicos da Seaf, Empaer e Prefeitura de Cuiabá na Central de Abastecimento levando em conta o preço mínimo e o preço máximo dos produtos encontrados nas barracas em três horários distintos durante o período matutino.
 
Confira a cotação de preços dos principais produtos da agricultura familiar, válida até o dia 08/06/16:
 
Abobrinha (KG)  R$ 2,63
 
Alface (DZ)   R$ 13,00
 
Batata   (KG)   R$ 4,00
 
Berinjela (KG)   R$  1,50
 
Beterraba (KG)   R$ 2,38
 
Cebola (KG)   R$  4,25
 
Couve  (KG)   R$ 0,80
 
Cenoura (KG)   R$ 2,04
 
Abacaxi  (UNID) R$ 2,91
 
Banana Nanica  (KG)   R$ 1,25
 
Laranja Pêra  (KG)   R$ 1,10
 
Limão Taiti (KG)   R$ 2,04
 
Maçã Nacional (KG)   R$ 2,50
 
Mamão Formosa (KG)   R$ 1,75
 
Melância (KG)   R$  1,00
 
Manga (KG)   R$ 6,33
 
Melão Amarelo (KG)   R$ 2,91
 
Maracujá Azedo (KG)   R$  3,33
 
Repolho (KG)   R$ 1,20
 
Tomate (KG)   R$ 2,00
 
Para acessar o preço de todos os 40 produtos divulgados pela cotação nacional dos preços do Prohort clique no link: http://www.prohort.conab.gov.br

A regulação é fundamental para garantir a qualidade do preço, evitando crimes contra a economia popular e valorizando o esforço e trabalho do homem do campo.