Pular para o conteúdo
Voltar

Técnicos vão a Rondônia para conhecer projetos de piscicultura e cafeicultura

Henrique Pimenta | Seaf-MT

Visita técnica Rondônia - Foto por: Henrique Pimenta - Seaf MT
Visita técnica Rondônia
A | A

Uma comitiva do Estado de Mato Grosso está em Rondônia para conhecer projetos de cafeicultura e piscicultura. O grupo é formado por servidores da Secretaria de Agricultura Familiar e Assuntos Fundiários (Seaf) e Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Empaer).

Os técnicos, acompanhados pela Empresa de Assistência Técnica de Rondônia (Emater-RO), pesquisaram o arranjo produtivo do pirarucu da Amazônia e conheceram unidades demonstrativas de produção integrada entre piscicultura e fruticultura. A comitiva também foi recebida pela diretoria da Embrapa Porto Velho, que é especializada em cafeicultura, para apresentar o programa Pró Café MT.

“Esta visita é estratégica, porque Rondônia tem uma notável organização nas produções da agricultura familiar. Além disso, já existe um intercâmbio de informações sobre o projeto Pró Café MT”, comentou o secretário de Agricultura Familiar de Mato Grosso, Suelme Fernandes.

Jander Plaça, que é gerente de Aquicultura e Pesca da Secretaria de Agricultura de Rondônia (Seagri), comentou que 70% dos piscicultores do Estado são agricultores familiares. A cadeia produtiva do pirarucu se mostrou viável a partir da adoção do Sistema Integrado de Criação, em que os dejetos do peixe servem como adubo para o açaí, a pimenta, o abacaxi, a melancia e o cacau. Outras frutas, hortaliças e olerícolas também podem se beneficiar desse adubo.

O piscicultor e reassentado Domingos Mendes, de 59 anos, possui cinco tanques e comentou que a participação do Estado é essencial para o crescimento. “Ninguém é bom sozinho, então o projeto de utilizar a água dos tanques do pirarucu para irrigar a produção de açaí só acontece com a orientação técnica da Emater-RO, e a participação da família”.

Segundo a Secretaria de Agricultura de Rondônia, 85% de tudo que é produzido no campo vem da agricultura familiar. Os técnicos da Seaf e Empaer permanecem até sábado de manhã (05) em Rondônia. Eles ainda irão percorrer cooperativas do município de Ariquemes que é referência com unidades de observação e reprodução dos peixes.