Pular para o conteúdo
Voltar

Preços de hortifrúti apresentam queda em junho

Em 30 dias preço do maxixe reduziu 62%, acelga 30% e a batata lisa 18%. Oferta elevada é a causa da redução nos valores
Luciana Cury | Seaf-MT

Oferta elevada fez preços de verduras e legumes despencarem em junho. - Foto por: Luciana Cury/Assessoria Seaf-MT
Oferta elevada fez preços de verduras e legumes despencarem em junho.
A | A

Os preços das principais hortaliças comercializadas no atacado em Cuiabá e Várzea Grande apresentam queda nesse início de junho, em relação ao mês passado. É o que aponta o levantamento realizado pela Secretaria de Estado de Agricultura Familiar (Seaf), divulgado nesta quinta-feira (06.06). De acordo com o comparativo da 1ª semana de maio com o mesmo período desse mês, a redução nos preços das principais frutas, verduras e legumes comercializados na Central de Abastecimento de Cuiabá foi percebida em 35 dos 66 itens pesquisados.

Entre os produtos que tiveram os preços diminuídos estão a vagem, a acelga, a batata e o maxixe. Nesse último item o índice de queda chegou a 62% em apenas 30 dias. De R$ 80, a caixa com 16 kg de maxixe está sendo vendido a R$ 30. Já a batata que hoje custa R$ 160 a saca com 50 kg, no início de maio era vendida a R$ 195. Queda de 18% no valor de comercialização do tubérculo. De R$ 50 a caixa com 13 kg da acelga caiu para R$ 35, representando uma redução de 30% no valor, e a vagem teve redução de 15% no preço, passando de R$ 70 para R$ 60 a caixa com 12 kg.

De acordo com o engenheiro agrônomo da Seaf, Luiz Henrique Carvalho, a oferta elevada desses produtos no atacado é a causa para a redução nos preços. “Pela pesquisa percebemos ainda que 14 produtos permaneceram com os mesmos valores, e apenas 17 tiveram”, comenta o técnico da Seaf.

Entre os itens que apresentaram acréscimo nos preços estão o tomate, o milho, a pimenta de cheiro, o quiabo e o alho. A alta mais expressiva foi notada no preço da pimenta de cheiro, que dobrou de preço. De R$ 60 a caixa com 8 kg passou para R$ 120. O milho subiu 40% neste mês, passando de R$ 50 para R$ 70 a saca com 45 kg. Já o tomate, um dos principais legumes consumidos pelos brasileiros, aumentou 20%, saltando de R$ 100 para 120 a caixa com 20 kg. O quiabo encareceu 60% e o alho 15%.

Cotação

A cotação de preços dos principais produtos da agricultura familiar é realizada semanalmente, toda terça-feira, a partir 5h, por técnicos da Seaf, Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer) e Prefeitura de Cuiabá. A pesquisa de preço é realizada na Central de Abastecimento de Cuiabá, levando em conta o preço mínimo, mais comum e o preço máximo dos produtos encontrados nas barracas em três horários distintos durante o período matutino.

Além disso, o índice de preço médio dos 66 principais produtos da agricultura familiar em 21 estados brasileiros podem ser conferidos no site http://www.prohort.conab.gov.br/